Palavras não bastam

Você aprende o caminho do perdão, quando os outros caminhos não te levam a lugar algum.
Você aprende que a guerra não compensa, quando ela acaba e você vê, em pedaços, tudo o que foi construído.
Você aprende que palavras não bastam, depois que fala, grita, escreve, e nada muda.
E então você aprende que precisa mudar, quando os erros alheios te levam a cometer seus próprios erros.
E então você aprende que mudando de hábitos, de ações, de comportamento, de sentimento, você muda, e aprende.
Magoar, mentir, se arrepender, perdoar.
Ajudar, pedir, partir, voltar.
Calar, gritar, sorrir, chorar,
Errar, sofrer, corrigir, mudar.
É tudo sobre aprender a amar.
E amar não se resume no sentir.
É o que a vida pede quando te força a evoluir.
Amar é um desafio, é o que preenche o vazio.
É nossa missão, nossa lição, nosso caminho.
(By Kayte Araújo)

perdaon

Pedra Bruta

Quantas cartas já escrevi por amor, pro ser amado, ou mesmo para mim, em alguma necessidade de registrar ou desabafar algum pensamento, ou algum sentimento.

E quando o amor se vai (a pessoa e o sentimento), as cartas ficam, as palavras permanecem, e são registros que não devem ser apagados. Tudo faz parte do nosso processo de aprendizado, assim eu penso.

O texto abaixo eu criei em um dos meus momentos de desabafo, dentro de alguma história que não tenho certeza qual é, pois está sem data. Mas guardei, e se guardei é porque trás alguma mensagem que vale a pena.

Talvez um dia vire música, ou seja só um poema. Talvez vire pó, talvez eu apague, nunca se sabe. Mas hoje resolvi compartilhar com vocês.

Espero que gostem:

Talvez as coisas nunca se ajeitem

Talvez a gente nunca se aceite

Mas de verdade o que eu quero é você

Bem, e perto de mim

Poderia ser simples assim

Um bem querer, fácil de conviver.

Mas há sempre algo mais

Algum dom, feito pedra bruta

Que eu não sei lapidar

Algum tom de voz ou de cor

Que eu não aprendi a enxergar.

Mas bem que você poderia

Cuidar de mim, ficar por perto

Porque a dor da solidão

Não distrai meu coração

Tão distante e tão desperto

Que já sofre por não te entender.

Posso te conhecer?

De novo e de novo e de novo?!

Até as coisas se ajeitarem

Até a gente se aceitar

Até você mudar essa ideia

De tocar sua vida sem mim?

Toque notas musicais

Toque coisas mais legais

Só não troque o que a gente tem

Assim…

Por quase nada…

(Pedra Bruta – by Kayte Araújo)

#Beijos & #GoodVibes ❤

#Textando – Bumerangue

É com muita vergonha na cara que venho apresentar-lhes o primeiro texto de minha autoria aqui no blog! Era pra ser um poema, mas como saiu meio torto, transformei-o em quase um texto. Rsrs Eu escrevi isso há 10 anos atrás, e sempre que releio me sinto feliz por tê-lo escrito, porque ele me faz repensar minhas atitudes para com as pessoas, pois muitas vezes não sabemos lançar o nosso “Bumerangue”. Espero que gostem e comentem o que acharam, assim quem sabe eu perco a vergonha e posto mais dos meus escritos. 😀 Vamos lá:

Bumerangue

Se eu puder te ter só pra mim, vou cuidar, como um jardineiro cuida de seu jardim, para que suas flores cresçam sempre bonitas.

E se for só pra mim, farei com que cada dia seja único, como se felicidade fosse nascer todo dia. 

Mas se eu tiver que dividir-te, saberei viver os melhores momentos, e saberei deixar-te partir, pra que você sempre volte ao seu destino. Como um bumerangue.

 E se voltar cansado, eu serei o teu descanso.

Se voltar estressado, saberei acalmar-te.

E se voltar carente, eu serei o teu abrigo, e saberei te dar o meu carinho, meu afeto e meu amor.

Mas se não voltar, será porque o bumerangue mudou sua direção, por eu não saber lançá-lo. 

Como uma semente mal plantada, por um jardineiro que só pensou na flor, mas não pensou que ela precisa ser regada.

Como um amante que só pensou no amor, mas não pensou nos sentimentos da pessoa amada.

By Kayte Araújo

#Beijos & #GoodVibes