Palavras não bastam

Você aprende o caminho do perdão, quando os outros caminhos não te levam a lugar algum.
Você aprende que a guerra não compensa, quando ela acaba e você vê, em pedaços, tudo o que foi construído.
Você aprende que palavras não bastam, depois que fala, grita, escreve, e nada muda.
E então você aprende que precisa mudar, quando os erros alheios te levam a cometer seus próprios erros.
E então você aprende que mudando de hábitos, de ações, de comportamento, de sentimento, você muda, e aprende.
Magoar, mentir, se arrepender, perdoar.
Ajudar, pedir, partir, voltar.
Calar, gritar, sorrir, chorar,
Errar, sofrer, corrigir, mudar.
É tudo sobre aprender a amar.
E amar não se resume no sentir.
É o que a vida pede quando te força a evoluir.
Amar é um desafio, é o que preenche o vazio.
É nossa missão, nossa lição, nosso caminho.
(By Kayte Araújo)

perdaon

Advertisements

Gentileza gera gentileza

Ele me disse: "Nossa, quantas pessoas legais!" 
Eu respondi: "É, quem tem boca 'vai à' Roma!"

Mas a história a seguir não é sobre dar ou conseguir informação, e sim sobre solidariedade.

gentileza

Estava eu hoje em Campinas, na fila para entrar num ônibus circular da cidade, quando vi um senhor tentando adentrar-se no ônibus, porém fora da fila. Na minha vez, dei permissão para ele passar, mas ele educadamente agradeceu e recusou-se. Ao entrar no ônibus me enrolei toda até tirar o dinheiro da bolsa, e à esta altura o senhor já havia entrado, e o vi perguntar ao motorista se o ônibus passaria próximo a uma rua “X”. Como o motorista não soube responder, eu me prontifiquei de procurar no GPS do meu celular (lê-se Google Maps, rsrs), e também aproveitei para pedir ao motorista para me informar quando chegasse na rua em que eu precisava ir.

Atravessei a catraca, sentei-me ao lado do senhor, e eis que começou a mágica: Um moço que sentou à nossa frente perguntou os endereços de ambos, e enquanto isso eu procurava no meu celular. Ele informou que na rua em que eu iria existem três pontos de ônibus, então pediu-me uma referência para facilitar a localização, e eu não tinha. Mas, a esta altura, já tinha um casal de senhores ao nosso lado nos dando dicas e tentando identificar a referência que o senhor havia fornecido, e então duas mulheres desconhecidas entre si também conversavam sobre nossos endereços. Em poucos minutos, vi o ônibus inteiro tentando nos ajudar. Um ligando para um amigo para perguntar se ele sabia onde ficava a tal referência, eu olhando no GPS os endereços, e a turma toda trocando informações a respeito.

Descobri que meu endereço e o do senhor eram bem próximos, então desceríamos no mesmo ponto. Então a equipe identificou o melhor ponto para descermos, duas pessoas nos informaram que deveríamos descer em um ponto após o deles e uma outra senhora disse que iria para a mesma rua que eu, então desceríamos os três juntos.

Descemos, e quando vi, estava eu dividindo meu guarda-chuva com a senhora, e o senhor veio logo atrás de nós, tomando uma chuva fina, apenas. Foi tudo muito rápido, ele seguiu para o destino dele, logo depois a senhora também seguiu o dela, e quando eu me vi sozinha, dei de cara com uma placa na parede de um bar, que dizia:

GENTILEZA GERA GENTILEZA

É. Acho que foi isso. Problemas simples foram resolvidos com atitudes simples, mas que tiveram grande significado para mim. Percebi que um ajudando o outro contagiou todo aquele lugar, e me vi em volta de pessoas solidárias e sorridentes, que prestaram informações e gastaram seus tempos conosco, sem nenhum de nós nunca termos nos visto, e principalmente, sem esperar nada em troca.

E na volta do meu compromisso encontrei a mesma senhora no ponto de ônibus (com quem eu havia dividido meu guarda-chuva), bem no ponto que ela havia me indicado, e fizemos o trajeto de volta compartilhando de uma conversa pausada, mas agradável. Não me senti incomodada com as histórias que ela me contou, e tão pouco com o silêncio que pairou entre uma história e outra (falta de assunto costuma incomodar as pessoas). Pegamos trânsito. Nem liguei.

Ahh, e quando cheguei em casa procurei na internet alguma informação sobre o tal bar com a mensagem que marcou meu dia, e apesar de não ter encontrado o que eu queria, encontrei isso aqui, que me deixou ainda mais feliz e surpresa com a atitude dos Campineiros. Vale a pena ler:

http://correio.rac.com.br/_conteudo/2014/11/ig_paulista/223237-campinas-tem-dia-para-celebrar-a-gentileza.html

Agradeci a cada um deles pelo lindo gesto, e agradeço também a você por ter reservado um minuto do seu tempo para ler sobre o meu dia. Achei que deveria compartilhar o dia feliz que tive, para quem sabe, contagiar mais alguém.

O dia foi cheio de acontecimentos, fiz coisas importantes e tive muitos aprendizados. E agora, além de poder dizer de boca cheia que gentileza gera gentileza, também posso dizer que felicidade às vezes é feita das coisas mais simples.

Kayte Araújo

Compartilhando pensamentos #1 – O que realmente faz sentido

Olá pessoal!!

Pela primeira vez estou trazendo um texto de autoria de uma outra pessoa aqui para o blog. E é de uma grande amiga, fofíssima, que cedeu gentilmente sua obra para compartilhar com a gente.

É uma bela reflexão sobre quando encontramos alguém especial.

Esperamos que gostem:

Sabe quando você percebe que as coisas fazem mesmo sentido? Quando uma terça-feira vira sábado, quando aquela tv de 21 polegadas parece uma tela de cinema de tão empolgante… Quando aquela pipoca de dois reais comprada no mercado é a melhor do mundo só porque foi ele quem fez.  Ou até mesmo aquele cafezinho feito no fim de semana, meio fraco assim ralinho, se torna tão prazeroso quanto um Starbucks, só porque ele preparou com todo o carinho do mundo, única e simplesmente para te agradar, afinal ele nem gosta tanto assim de café. Quando aquele passeio na cidade vizinha te traz a sensação de uma viagem internacional…

Se você não entendeu o que faz realmente sentido, vou resumir, é quando as coisas mais simples do mundo fazem de você a pessoa mais feliz que existe só porque você está com aquela pessoa que faz o sentido das coisas. E essa pessoa talvez nem de longe seja aquela dos seus sonhos, ou quisera seja, o que importa? O que importa é o fato de que ela foi a pessoa que conseguiu tocar dentro de você o que nenhuma outra encontrou antes e que talvez nenhuma outra encontre, porque essa pessoa no fundo no fundo sabe te ganhar da cabeça aos pés, e nem precisa de esforço nenhum pra isso, simplesmente fluí e é natural.

Talvez nem exista essa mágica toda aí, não é possível que essa pessoa tenha super poderes, mas poxa… me pego pensando: Como é que ela consegue? Talvez tenha aparecido no momento certo, mesmo que não tenha feito coisas tão certas. Não, eu cansei e me recuso a ficar tentando achar a bendita explicação, porque na verdade eu sei que não existe. Essas coisas acontecem e pronto. E o que é mais maluco, é que elas acontecem, varrem tudo pela frente e vão embora, passa tão de repente como veio, ou não, enfim… Ao menos é  intenso, tocou e faz sentido. ❤

By Sheila Lima 

552726_667704843249406_160081238_n

#Textando – Bumerangue

É com muita vergonha na cara que venho apresentar-lhes o primeiro texto de minha autoria aqui no blog! Era pra ser um poema, mas como saiu meio torto, transformei-o em quase um texto. Rsrs Eu escrevi isso há 10 anos atrás, e sempre que releio me sinto feliz por tê-lo escrito, porque ele me faz repensar minhas atitudes para com as pessoas, pois muitas vezes não sabemos lançar o nosso “Bumerangue”. Espero que gostem e comentem o que acharam, assim quem sabe eu perco a vergonha e posto mais dos meus escritos. 😀 Vamos lá:

Bumerangue

Se eu puder te ter só pra mim, vou cuidar, como um jardineiro cuida de seu jardim, para que suas flores cresçam sempre bonitas.

E se for só pra mim, farei com que cada dia seja único, como se felicidade fosse nascer todo dia. 

Mas se eu tiver que dividir-te, saberei viver os melhores momentos, e saberei deixar-te partir, pra que você sempre volte ao seu destino. Como um bumerangue.

 E se voltar cansado, eu serei o teu descanso.

Se voltar estressado, saberei acalmar-te.

E se voltar carente, eu serei o teu abrigo, e saberei te dar o meu carinho, meu afeto e meu amor.

Mas se não voltar, será porque o bumerangue mudou sua direção, por eu não saber lançá-lo. 

Como uma semente mal plantada, por um jardineiro que só pensou na flor, mas não pensou que ela precisa ser regada.

Como um amante que só pensou no amor, mas não pensou nos sentimentos da pessoa amada.

By Kayte Araújo

#Beijos & #GoodVibes